A arte de ser criança

08/12/2010 § 2 Comentários

Ser criança é uma das melhores coisas da vida. Fala sério! Andar de bicicleta e comer biscoitos quando bem entendemos é uma arte! Estava pensando seriamente nisso esses dias, meu trabalho de conclusão quase me fritou o cérebro, e olhe (isso não é motivo de se gabar) meu apelido na escola é nerd sem vida.

Como era bom ser criança e o quanto me arrependo de aos 12 anos não ter agido como tal. Por isso que hoje me comporto como criança mimada. Quis ser precoce e me ferrei. Ser adulto implica em tanta responsabilidade que seu peso e tamanho não dão conta. Até o namoradinho da escola (que não é mais da escola), seu amor leve, despreocupado, lindo e maravilhoso se torna uma bola de neve tão pesada que só te dá trabalho.

Pagar contas, andar quilômetros de salto alto, ser responsável, agüentar criança, arrumar a casa, almoçar com os pais, comprar comida, aí, isso cansa demais. E olha que eu ainda não moro sozinha (talvez o problema seja exatamente este, mas, deixemos de lado por enquanto). A todo tempo alguém de algum modo precisa de mim ou eu preciso deles e quando vou ver já não sei onde estou no meio de tanta Mariana pra lá e pra cá.

Ontem estava naquele dia… O dia da nostalgia. Queria que meu pai me levasse na escola, lancheira da Barbie, cabelos de Maria Chiquinha, tênis Keds (sempre tive estilo) e uma mãe para me ajudar no dever de casa. Foi um saco terminar a monografia. Queria fugir e me esconder em algum lugar. E o pior de tudo era lembrar que estas humildes páginas são só a primeira parte de um filme que só será produzido ano que vem.

Terminada a monografia (que estarei entregando no exato momento em que você estiver lendo este texto), senti um peso a menos nos ombros. Mais um filho que pari. E desisti de ser criança novamente. Sábados iremos sair e curtir mais um fim de ano lá na UFRJ. Criança não pode ter esse tipo de saída e a nerd sem vida, que passou o ano inteiro estudando como louca, passou para o terceiro ano e comemorará com estilo.

Como Meredith Grey diz, os saltos, contas a pagar, namorados problemáticos e os pais longe podem ter um lado bastante lucrativo: Liberdade.

Anúncios

§ 2 Respostas para A arte de ser criança

  • jooydias disse:

    É verdade, oras nos arrependemos de o tempo ter passado tão rápido, oras damos graças em ter tudo concluído, ter idade pra se divertir como adulto e tudo mais. O ser humano infelizmente nunca está satisfeito com nada, mas é tortura viver momentos maravilhosos e não poder voltar nele em dias que não são nada fáceis.

  • Ana Luíza disse:

    Criança, como eu queria voltar aos meus 6 aninhos! (eu tenho 10 anos)! Tem tanta gente, que quer ser mais velha ou parecer mais velha…e não pensa que pular corda, escola, vai deixar tanta saudades…e é tão bom! e essa gente não sabe…! ;D como vai deixar saudades..brincar, pular, conversar sobre aquele menino…!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento A arte de ser criança no Doces Meninas.

Meta

%d blogueiros gostam disto: