Posso falar? Crítica de “Cisne Negro” (Black Swan)

18/01/2011 § 1 comentário


Esse filme é daqueles que merecem ser vistos várias e várias vezes no cinema e depois locado mais algumas vezes. Daqueles que daqui há três anos vão estar bombando na promoção de R$19,90 da seção de DVDs das Lojas Americanas. É daqueles que combinam elenco, roteiro, enredo, trilha sonora e efeitos especiais numa sintonia perfeita. Senhoras e senhores, lhes apresento o luxuoso “Cisne Negro” (Black Swan).

Sinopse:Cisne Negro‘ é um thriller psicológico ambientado no mundo do balé da Cidade de Nova York. Natalie Portman interpreta uma bailarina de destaque que se encontra presa a uma teia de intrigas e competição com uma nova rival interpretada por Mila Kunis. Dirigido por Darren Aronofsky (O Lutador, Fonte da Vida), Cisne Negro faz uma viagem emocionante e às vezes aterrorizante à psique de uma jovem bailarina, cujo papel principal como a Rainha dos Cisnes acaba sendo uma peça fundamental para que ela se torne uma dançarina assustadoramente perfeita. (Fonte: CinePOP)

Embora a sinopse apresente o filme como a próxima minissérie da Globo, ele vai muito além disso. Estreou em cinemas selecionados dos Estados Unidos em 3 de dezembro do ano passado (meu aniversário!) e chega aos cinemas brasileiros em 4 de fevereiro desse ano. Desde sua exibição no Venice Film Festival até o Globo de Ouro de anteontem (16/01), o filme tem chamado muita atenção da mídia e principalmente da crítica.

A história é aquela ali de cima, em ricos detalhes e numa imersão na mente da protagonista, o filme retrata a vida dura de uma bailarina que possui o papel de “Rainha dos Cisnes”. O diretor Darren Aronofsky fez um excelente trabalho ao idealizar cada cena do filme, criando a atmosfera sombria e obscura necessária para a perfeição do filme. Aliás, a busca pela perfeição é evidente em cada parte do filme, seja pelos personagens com seus objetivos na trama, os atores com o seu trabalho, toda a equipe de produção e os músicos da trilha sonora. O filme exala perfeição.

O elenco também é uma obra-prima. Natalie Portman nunca esteve tão linda, sincera e real num papel quanto como Nina em “Cisne Negro”. Ela traz toda a técnica do papel e da atuação aliada à emoção necessária para entender como são os sentimentos de uma bailarina. Seu desempenho é nítido, o que pode ser comprovado pelos seus prêmios de Melhor Atriz no Critics Choice Awards e Golden Globe Awards (e o Oscar, será?), além de indicações em várias outras premiações. Os outros componentes do elenco também são ótimos, como Mila Kunis – indicada a Melhor Atriz Coadjuvante no Golden Globe Awards – vivendo a ameaça de Nina no ballet (e na vida, né), Lily; e Vincent Cassel, como o diretor safadinho e bem íntimo Thomas. Todos atuam muito bem, dando uma vida particular a cada personagem.

 

Outro detalhe marcante é a trilha sonora. De algum jeito, a equipe de produção fez com que as composições clássicas de “O Lago Dos Cisnes” combinassem perfeitamente com cada momento do filme, representando bem o alívio, a dor, a felicidade e o suspense. Se você, assim como eu, acha ballet um saco, vai ficar feliz por finalmente ver um lugar bom para aqueles barulhinhos irritantes de caixinha de música.

De uma forma total, o filme consegue relacionar bem a história da bailarina Nina com os tumultos e desesperos da vida de quem é envolvido com o ballet. A dor e o esforço são apresentados de um jeito que te deixam agoniado e arrepiado; a pressão pela pessoa nunca ser boa, magra, jovem e graciosa o suficiente te deixa louco; todos os conflitos psicológicos induzidos por acontecimentos e situações extremas vividos por Nina te deixam meio doido. Há várias outras coisas que são implícitas no filme, mas seria necessário entrar em vários detalhes do filme que o fariam perder a graça para quem não o viu ainda. Portanto, considero o filme como um bonequinho que o viu pulando da cadeira e dançando um axé bem doido – ou ballet né…

Anúncios

Marcado:

§ Uma Resposta para Posso falar? Crítica de “Cisne Negro” (Black Swan)

  • N disse:

    Não sei por quem babo mais. Natalie, Mila ou Vincent. Três GRANDISSÍSSIMOS atores, pelo menos pra mim (: E estou muito ansiosa por BS. Já vi trailer, já li resumos, já ouvi falarem da trilha. Mas, né, acho que na minha cidade, só ano que vem, hahah.
    P.S.(desnecessário): Mila, venimim, SUA LINDA!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento Posso falar? Crítica de “Cisne Negro” (Black Swan) no Doces Meninas.

Meta

%d blogueiros gostam disto: